Translate

sábado, 16 de dezembro de 2017

Não vai ser fácil...

Por cá:
Eu: Meninos, querem frequentar as actividades que a escola tem planeadas para as férias de Natal?
Gonçalo (8 anos): Oh mãe, tu estás a despachar-nos?!
Didi (12 anos): Eu nem vou responder a isso...
Miguel (5 anos): EU NÃO QUERO!!!
Eu: Só fiz uma pergunta! Sabem bem o quanto gosto de vos ter por cá. Até contamos os dias! Mas tem sido tão difícil fazermos algo que todos gostem. Cheguei a pensar que preferiam ficar na escola. Quando estão em casa massacram-me, batem-se uns aos outros, fazem queixumes infinitos, gritam, jogam à bola com tudo o que encontram, arrancam os braços às bonecas, voam sapatos, é comida por todo o lado... (interrompem-me)
Gonçalo: E não achas que isso é muito mais giro que as actividades da escola?!
Didi: Hahhahahahahaha Oh mãe, ainda fiquei com mais vontade de começar as férias!
(Férias?! Rezem por mim...)
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O grupe!

Pela "voz" da nutricionista mais doce que um quindim, deixo-vos aqui um bocadinho da história que deu origem ao meu, ao nosso, ao vosso"grupe". O mais cool do Planeta Terra, Marte e do outro que agora não me lembro do nome...
Até temos um dialecto próprio e uma lista de descontos exclusivos!
Diz que é um "grupe" de reeducação alimentar (já perdi 13kg em 3 meses e pouco) mas, na verdade, temos sido é "muita" felizes "juntes"!
E eu que nunca fui dada a ajuntamentos, hein? Quem diria...


Quem é do #tamojuntes ponha o dedo no aaaarrrrr! #tj
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro
#tamojuntes!
#nutribanza

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Novamente nas bocas do mundo?!

Hoje andamos novamente por aí...

Espero que gostem da entrevista, espreitem aqui!
Saiu-me tudo de rajada... seja pla ´s almas!
Grata pelo convite, Inês! Beijinhos 
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Descontos exclusivos para membros do #tamojuntes!

Já vos falei do grupo do Facebook mais maravilhoso do planeta, o #tamojuntes!, a novidade é que agora há uma lista exclusiva de descontos para membros!

Para usufruir basta pedir adesão ao grupo, aqui: https://www.facebook.com/groups/1791530634197130/?ref=br_rs

Se quiserem receber esta informação, mensalmente, por email, para não escapar nada, enviem-me mensagem privada!

Espreitem:












E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro



O amor é fodido!

Hoje, tive um encontro que me deixou a pensar…
Estava na fila do pão (para variar) e uma vizinha, ao contrário do que é habitual, não perguntou só pelas crias:
Senhora: Então e o marido, como está? Não o vejo há algum tempo.
Eu: Está como eu o deixo estar – na paz! Quem tem cabelos brancos, sou eu…
Senhora: Nunca diga mal do seu marido em público, nunca! Há por aí mulheres que procuram isso mesmo. Quando menos esperar, fica sozinha.
Eu: Olhe, quem perde é ele! E elas, ao levá-lo, tinham o merecido castigo!
Senhora: Eu sei que você é uma bem disposta, mas olhe que custa muito! Eu era muito feliz com o meu marido. Ele deixou-me por causa de uma maluca. Eu estive tão mal que achei que morria. Sabe, era mesmo isso que eu queria - morrer! Ele entretanto arrependeu-se mas o orgulho fala mais alto e ele não volta para casa… Tomo mais de uma dezena de medicamentos desde que ele saiu. Não me deu cabo só da cabeça, fiquei doente do cabelo até aos ossos. Nunca mais fui a mesma. Por favor, conserve-o. Cuide dele, tenha cuidado!
Foi um murro no estômago! Não por mim, sei bem que quem perdia era ele! #CagariCagaró Eu bastava-me a mim mesma (desculpem a redundância).
Custou-me por ela…
Custou-me confrontar-me, cara a cara, com quem acha que lhe basta menos do que merece.
Com quem acha que não ter um homem em casa é estar sozinha.
Com quem acha que orgulho e amor fazem parte da mesma moeda.
Com quem acha que uma “maluca” consegue roubar um marido que a ama.
Com quem acha que outra mulher é a responsável por algo que foi feito por alguém com plenas capacidades físicas e mentais.
Com quem sofre tanto por uma pessoa que provavelmente gosta tanto dela como ela gosta de si própria – nada!
Com quem tem a sua vida em “stand by”…
O olhar dorido dela transmitiu-me a ideia de que continua à espera que o “orgulho” pese um pouco menos que o “amor” e que a “maluca” o “deixe” regressar para onde ela acha que é a casa dele – o amor dela!
Imaginei-o a voltar. Seria aceite de braços abertos e ambos iriam dizer mal da “maluca”… até aparecer outra “maluca” qualquer… digo eu.
Apeteceu-me abaná-la, gritar-lhe, dizer um monte de coisas que EU acho que são certas e que ela precisava ouvir! Como se EU soubesse mais do que ela. Como se EU vivesse o amor dela. Como se EU fosse ela ou ela fosse EU!
Tentei disfarçar o ego inflamado, respirei fundo, afaguei-lhe a mão, que ela carinhosamente tinha agarrada, com força, ao meu braço, e disse-lhe:
- Aprendi muito com o seu testemunho, sei que vou para casa a pensar nele e estou muito orgulhosa por me ter confiado a sua história. Estou assim emocionada pelo facto de estar tão preocupada comigo e com a minha família. Obrigada!
Se fiz a diferença na vida dela? Não!
Se ela fez na minha? Fez!
Reforçou a minha ideia de que não nasci para receber menos do que dou MAS fez-me perceber também que isto é apenas e só A MINHA forma de amar!
Parece que cada um ama à sua maneira… muitas vezes, ama sozinho, ama pelos dois, ama mais do que a si próprio e isso pode bastar, mesmo que a mim não me baste, mesmo que a mim não me faça sentido…
Já dizia o MEC: “o amor é F*dido”!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

O futebol não é para católicos...

Por cá:
Gonçalo (8 anos): Ó mãe, eu preciso de saber porque é que hoje é feriado outra vez! Porquê?!
Eu: Filho, é um feriado católico. É o Dia da Imaculada Conceição.
Ele: (De boca aberta) Pronto, eu vi logo! Por causa dessas coisas que as pessoas acreditam, eu não tenho tenho treino de guarda-redes, outra vez!!!
Eu: Mas soube-te bem não ter aulas...
Ele: Ó mãe, mas isso eu percebo! Há muita gente lá na escola que acredita em Deus e nessa Senhora que tu disseste, agora lá no futebol?! Não me parece, mãe!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Dasssss

Conhecem alguém que não precise de férias do seu emprego?
Que nunca lhe tenha apetecido estar dias e dias sem fazer absolutamente nada que esteja relacionado com a sua função?
Conhecem alguém que nunca tenha passado por períodos de descontentamento com a profissão que escolheu? Com sentimento de vazio, de tédio, de necessidade de isolamento, perturbações de memória, variações do humor, receio, pessimismo, falta de energia, descontrolo, tristeza, ansiedade, preocupação excessiva com pormenores, com a saúde, sentimentos de culpa, baixa auto-estima, perturbações do sono, fome exagerada ou perda drástica do apetite, dificuldade de concentração, não se sentir à altura ou sentir que não é valorizada… Quem nunca?!
É isso que faz da pessoa uma incompetente?!
Então porque é que uma mãe não pode sentir isto sem que a acusem de ser má mãe? Sem ter de ouvir: “Não os tivesses!”, sem acharem que não gosta dos filhos, sem lhe dizerem que os seus sentimentos “passam todos para os filhos, que não têm culpa nenhuma!”.
A mãe sabe disso! Já se sente suficientemente uma nódoa, por isso e por muito mais, não precisa dessa chamada de atenção.
Conhecem alguma mãe, daquelas sem ajudas, sem um apoio significativo, - nem sequer por parte de quem fez a criancinha, que se escuda no facto de trabalhar fora de casa e chegar cansado – que não tenha fases de gritos, de cansaço mental extremo, de vontade de fugir por dois dias? Conhecem?!
Conhecem alguém perfeito?!Eu não! Mas temos gente à nossa volta que acha que existem seres divinos e que não somos um deles!
Essas pessoas, para além de condenar, contribuem para o quê? Ajudam no quê? Se nem capacidade têm para compreender, como é que tem capacidade para opinar? Como se pode dar valor a essa opinião? Não pode! #CagariCagaró
Sabem que mais? Existem duas soluções para lidar com essas pessoas:
1ª Mandar à merda;
2ª À merda mandar!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

Para espertalhão, espertalhona e meia!

Por cá:
Gonçalo (8 anos): Mãe, como é que vais saber o que quero para o Natal? É que não vou fazer carta nenhuma! Escusas de continuar a tentar convencer-me que o Pai Natal existe. O ano passado fingi que acreditava mas este ano...
Eu: Uau! Ainda bem. Acho lindamente, não faças carta, não. Finalmente, vou poupar uns trocos em presentes. É que o espírito natalício tem a ver com união, amor, famí... (interrompe-me)
Ele: Esquece! Onde é que tens o caderno de linhas?
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro