Translate

domingo, 19 de novembro de 2017

Devo tudo isto ao melhor grupo do mundo! #tamojuntes!

Hoje, dei por mim a pensar como esta coisa de voltar a gostar do que vejo no espelho tem sido tão emocionante para mim…
Pareço uma adolescente a admirar-me, a descobrir o corpo! Olha em frente, ora dá meia volta, mira detrás, põe as mãos à cintura, fala sozinha, ri, dança para e com o espelho…
Perdida nesta reflexão, tive um momento em que achei que estava a ser fútil, cabeça ouca… Resolvi deter-me nesse sentimento e pensar sobre isso…
Cheguei à conclusão que não estava a ser justa comigo. Não é futilidade, não é luxo, é um redescobrir que sou mulher, não sou só mãe! E não é que gostei?!
Sinto-me a rejuvenescer, estou, finalmente, a conseguir conjugar, articular os meus vários papéis… Isso tem-me dado a paz interior necessária para lidar com as coisitas menos simpáticas que existem em todas as outras funções que exerço.
Sai da caverna, do casulo… estou pronta para viver a vida em pleno! Não ser só a mãe alegre e resiliente que sempre fui, não ser só a Mãe dos Quatro!
Sou a Rita!
Apetece-me sair, reencontrar pessoas, estar mais com as que sempre estiveram ao meu lado, namorar, dar beijos de língua, apalpar e ser apalpada! Fazer sexo contra a parede ou fazer amor em frente à lareira...
“Ah e tal e isso tudo por estares mais magra?!” Não!
Isto tudo por sentir que este é o meu corpo! Por me ter resgatado. Por já não ter medo de tirar fotos, vestir roupas que gosto, por me sentir bonita, por me sentir mulher!
As maminhas descaídas estão cá na mesma, a barriga continua mole e saliente, os braços são flácidos e gelatinosos, o rabo não é tonificado, mas é tudo meu, faz tudo parte de mim. A diferença é que aceitei! Aceitei-me!
Resgatem-se! Amarem-se não é um luxo, é um direito!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

Sem comentários:

Enviar um comentário