Translate

sexta-feira, 30 de junho de 2017

O sentido estético do homem...


Fui com o homem àquele sítio que vende tudo por montar…
Já estávamos de saída quando me lembrei de ir buscar um escorredor da loiça.
Quando regresso, diz-me o homem com um ar horrorizado: - Epáaaa eu não gosto disso, é muita feito. Não vais levar!
PÁAAAAAARA TUDO!!!
O HOMEM não gosta do escorredor da loiça!
HAHAHAHAHAHAHAHAHAAH
Ele que mal entra na cozinha. Deve achar que aquilo é uma estante para livros, um suporte para revistas ou para escovas de dentes...
Ohhh fofura de sua mulher!
É um ser que passa o tempo a dizer que não viu, que não reparou, que não liga a essas coisas, que para ele é igual, mas alto lá!!! Quando toca a escorredores da loiça a coisa pia fininho, isso é que era bom. O homem é distraído mas não tanto! Escorredores da loiça são escorredores da loiça!
Claro que não o levei, não ia ofender o sentido estético do homem para escorredores da loiça!
Vou procurar um desenhado por Souto Moura, de edição limitada, matizado numa escala de cinza em degradé, com apontamentos em macramé de caxemira, debruado a ouro branco de Viana do Castelo e, depois, irei esperar ardentemente que passe no estreito crivo do avaliador de escorredores da loiça…
Que a sorte me acompanhe!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Cresci...

Quando me limito a observá-la, a deixá-la ser quem é, a magia acontece...
Começou por ir ao quarto do Miguel e vestiu, à sua maneira, uma t-shirt do mano. Depois, subiu à cama do Gonçalo e trouxe uma almofada. Passou pelo seu quarto e escolheu um livro.
Vestida a gosto, trouxe o livro numa mão e arrastou a almofada com a outra.
Desceu as escadas, montou um estaminé de leitura - na cozinha. Aconchegou-se sem esquecer o encosto da cabeça - uma saca de batata vermelha. E ali ficou, a ler um livro - que está ao contrário.
Assim permanecemos, ela a ler e eu a cozinhar...
Dei por mim a pensar no quanto mudei.
Há uns tempos valentes, não ia deixá-la vestir um t-shirt só porque lhe apeteceu, já que ia sujá-la sem necessidade!
Não ia permitir que subisse a uma cama, já que podia cair!
Não ia achar piada ao arrastar de uma almofada pelo chão, já que não é nada higiénico!
E descer escadas com aquela tralha toda?! Só ao colo ou de mão dada!
E ia colocar o livro "correctamente"!
Acabaria em birra, mas com educação e em segurança! - Diria eu...
Assim, acabou em respeito por ela e com um sentimento delicioso de orgulho nesta criaturinha com 23 meses, que, pelos vistos, já é tão capaz de tanta coisa...
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

quarta-feira, 28 de junho de 2017

Já tenho um site e tudo... dos fofinhos!

Já espreitaram?!

Vejam aqui!

Contem-me tudo. Quero muito saber o que acharam!

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro



50% de desconto exclusivo para vocês!

Penso que pelo facto de eu ter uma catrefada de filhos recebo diariamente uma montanha de mensagens, de gente simpática, a pedir sugestões de lojas com roupa compostinha, cheia de pinta e em conta, que permita vestir os manos, de ambos os sexos, em modo pandã para os casamentos, baptizados e outros eventos fru-fru...
Muitas dessas pessoas seguiram a minha recomendação da La Petite Boutique - que é da Elisabete, uma miúda muito "cool", super bem-disposta, sempre com um "carago" na altura certa e com umas promoções de gritos!
Em forma de agradecimento, a Elisabete criou um álbum com a linha que tem feito um sucesso estrondoso entre vocês. Estará ATÉ DOMINGO com 50% de desconto para quem disser que vem daqui!
O laço, à semelhança de todos os outros laços e fitas da Clarinha e da mãe, é da Lost Colours. Cá em casa não entra mais nenhuma marca de acessórios para o cabelo! Podem comprar directamente na página da Lost Colours ou através da Elisabete.
By the way... Vejam o vídeo com o som ligado, ficou tão fofinho...  
O link directo para o albúm "E eu que só queria um casalinho - 50% de desconto directo" é este: https://www.facebook.com/media/set/…
Aproveitem!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

terça-feira, 27 de junho de 2017

Deslarguem-me!

Abriu a época da foto com o pernil esticado ao sol!
Ele é fotos do pernil esticado num iate em Formentera; fotos do pernil esticado numa varanda em Moimenta da Beira com vista para o Tó Lúcio a alimentar os patos; fotos do pernil esticado com as chanatas da Prada em cima de uma mesa de vidro temperado a cuspo de Mojito e Caipirinha...
Claro que dei por mim a pensar: 
- Ahhh isto não são pessoas com filhos como os meus… Não pode!
Eu assim que estico as minhas caniças em cima de algo sinto imediatamente uma cria aos saltinhos, a gritar: “cavalinho, cavalinho, cavalinho, cavalinho, cavalinho” enquanto ri desalmadamente como se aquilo fosse a brincadeira mais gira que se inventou desde a extinção do “Nhecos”!
Eu tenho dias que tento esticar apenas um dos troncos e, quando ainda estou a poisá-lo num sítio qualquer, já está um com convulsões: “posso mãe, posso, posso? Já posso mãe? Põe as duas pernas mães, vá mãe, põe, põe, põe!!!”
Cortem-me os pulsos por misericórdia! “DESLARGUEM-ME!!!”
A sério?! Já não se pode escarafunchar em paz o pêlo encravado, arrancar os pentelhos que crescem no dedo grande do pé ou simplesmente fingir que se é uma pessoa normal a descansar?!
Para conseguir serrar as minhas unhas pareço uma contorcionista bielorrussa que está a tentar enfiar-se num cubo de 30 cm. Fico com as unhacas tão perto da cara, para evitar o esticanço e ter alguém a fazer de mim equino, que dava para roer as unhas dos pés – mas não posso fazê-lo sob pena de ficar com os dentes partidos…
Bom, bom é quando aparecem dois aos mesmo tempo e puxam-se um ao outro para serem os primeiros a alcançar a cavalgadura – eu. Enquanto se pregam ao estalo eu tenho ali uns segundos para gozar das caniças em repouso…
Já o pior é não conseguir pedir um 1 minuto de silêncio pelo direito a ter uma foto com o pernil esticado... é que não se calam 30 segundos, quanto mais 1 minuto! Pedir-lhes a alternativa brega das palminhas também não é opção, já que não fazem absolutamente nada do que lhes peço...
Boas férias para vocês também...
E eu que só queria um casalinho…
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

segunda-feira, 26 de junho de 2017

Dói!

Já estou branca às bolinhas amarelas...
É amoroso na primeira meia hora depois passa a massacre!
Dói tanto...
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

Milagre!

O Gonçalo (8 anos) acha que o livro é mágico porque, quando iluminado, tem páginas secretas.
Já eu, acho estes livros mágicos porque me entretêm as crias, horas a fio e, pasmem-se... deitados na cama EM HARMONIA!

Benditos livrinhos!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro
#booksmile

sábado, 24 de junho de 2017

The best of you!

Por cá o lema é: "Dá o teu melhor", seja na escola ou em qualquer outro contexto da vida. Portanto, a questão da nota é-nos secundária...

Parabéns, meninos! Estamos muito orgulhosos. Para o ano há mais...
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro
(imagem tirada da net e adaptada)

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Gratidão!

Querida Professora,
Obrigada, por ter partilhado comigo, não apenas a avaliação das competências do meu filho, mas, também, as saídas engraçadas que teve em plena sala de aula, as brincadeiras preferidas com os amigos, as suas conquistas, o beijinho que você tentou roubar-lhe a todo o custo…
Obrigada, pelo brilho nos olhos de cada vez que partilhámos consigo uma fatia do bolo de aniversário do meu filho.
Obrigada, pela sua assertividade e discrição na forma como realçou um comportamento desajustado do meu filho, pelas mensagens de encorajamento que lhe deu, centrando-se na solução e não no problema.
Obrigada, por ter levado a cabo de forma fervorosa o seu dever de confidencialidade junto das crianças, dos pais, dos seus colegas e restante comunidade educativa.
Obrigada, por não ter feito uso da caderneta escolar para mandar recados menos simpáticos - preferindo o telefonema, o cara-a-cara para me manter informada sobre a situação mas, também, para me contar o que estava a ser feito por si para a contornar.
Obrigada, por ter aceite o meu filho e a sua família sem condenações, preconceito ou juízos de valor. Deu-nos abertura para falar das nossas limitações, expectativas, dúvidas e receios, aceitando as nossas desculpas, retribuindo com igual responsabilização, dando e ouvindo sugestões de trabalho concertado - em equipa.
Obrigada, por ter mediado os conflitos que surgiram dentro e fora da sala de aula, mesmo quando aconteceram nos seus intervalos e pausas para almoço. Usou uma escuta activa, respeitou o direito do meu filho a falar sem ser interrompido, levou a sério as suas opiniões e ideias - dando-lhe em troca explicações para as suas dúvidas, num tom de voz meigo e calmo.
Obrigada, por ter mantido o grupo-turma unido, interessado e motivado, respeitando o ritmo e preferências de cada um.
O meu filho é um excelente aluno, sei que isso implicou da sua parte um investimento extra em encontrar formas de o desafiar e motivar, tais como pô-lo a ajudar os alunos com dificuldades mas, sobretudo, aumentando a criatividade e a diversidade das tarefas propostas, obrigada!
Obrigada, por ter tido sempre presente que o meu filho é só uma criança e nunca ter confundido as traquinices naturais da idade com afrontas pessoais. Grata por tantas vezes voltar à sua própria infância e contar os seus disparates, realçando que são normais, saudáveis e que todos os fizeram.
Obrigada, por usar o seu sentido de humor delicioso, a sua alegria, a sua espontaneidade, por entrar na brincadeira, vendo os seus alunos como parceiros de trabalho.
Como professora, sei que não tem uma vida fácil, nem facilitada, mas, ainda assim, humaniza sempre o ato de ensinar.
Obrigada, por fazer uso do seu direito de ser criança para sempre…
Com a maior gratidão,
Família Marques
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Estive com o Sr. Escritor!

Ontem, depois de ir buscar os meus filhos à escola, como é habitual entrámos esbaforidos no autocarro.
Apesar de estar vazio, o meu Miguel escolheu um banco repleto de migalhas de bolacha, em vez de qualquer outro dos 56 lugares à disposição. Esteve pacientemente a tirar migalha a migalhinha, enquanto eu, em pé – com medo que ele caísse, tentava, em vão, convencê-lo a mudar de poiso.
O que vale é que eu só ia com duas mochilas nos ombros, uma mala a tiracolo e 3 bilhetes enfiados entre os dedos. Estava afundada num calor que ameaçava explodir-me as bochechas e sentia as gotas de suor a brincar ao escorrega desde o topo das minhas costas até bem ali a meio do rego…
Quando finalmente nos sentámos, coloco toda aquela catrefada de coisas no colo e, no meio desta lufa-lufa, uma voz prende-me a atenção.
Era tão, mas tão familiar… Olho em frente e… UAU! Confirmou-se, era ele! Estava a fazer uma pergunta ao motorista.
Eu: Meninos, sabem quem vai ali no banco da frente, ao pé do sr. motorista?
Gonçalo: Mãe, está de costas, sei lá eu!
Eu: Deixem-me dizer-vos que até de costas sei quem é! É nada mais, nada menos, que um dos meus escritores preferidos! Tem o teu nome, Miguel, mas é carinhosamente chamado de MEC! São as iniciais de Miguel Esteves Cardoso!
Gonçalo: Então vai lá falar com o Sr. escritor!
Eu: O que ia dizer-lhe, Gonçalo?
Gonçalo: Que gostas dele!
Eu: Filho, há muuuuuita gente que gosta dele. Já está habituado a ouvir isso e vai concentrado no caminho, devemos respeitá-lo!
Entretanto, MEC agradece ao motorista e sai, pedindo desculpa “pelo mau jeito” (ou seja, pelas perguntas que lhe fez, relativas ao percurso do autocarro).
Já em casa, dei por mim sentada, com os meus filhos, a falar dos textos de MEC e a contar-lhes como me sentia quando os lia.
Chegou o homem, contei-lhe o sucedido, também ele disse que eu devia ter falado com o Sr. Escritor…
O que lhe diria?! - Pensei eu.
Bem, se tivesse falado com MEC talvez lhe dissesse:
– Parabéns pela forma desconcertante como vê o mundo e as pessoas. Obrigada por colocar em palavras escritas o que nos vai na alma, sem floreados, folhos e rendinhas. Por desmistificar o amor romântico e brindar-nos com brutalidade do amor real, que existe nas pequenas coisas da relação quotidiana connosco e com o outro. Quem ama assim não é gago! Ou, se calhar é… (permita-me a ousadia de apelar ao seu humor inglês). E a forma tenaz e corajosa como fala de si próprio - de como se vê?! Mas que grandes tomates! É fácil escrever sobre os outros, sobre nós é que não é para todos, só para os poetas, como o Sr. MEC.
Terminava contando-lhe o encantamento e a atenção revelada por 3 rapazes, de 11, 8 e 4 anos, aquando da leitura que lhes fiz de alguns dos textos do Sr. Escritor!
Ganhou mais 3 fãs!
Mas, como sei que ia atropelar-me em palavras e frases sem sentido, deitar gafanhotos de emoção, à medida que tentava desculpar-me pela tontice do momento e invasão da sua privacidade... Preferi escolher o bom senso de manter-me sentada e deixar o Sr. Escritor a salvo de um momento caricato!
E eu que só queria um casalinho…
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

Sôr Engenheiro!

O nível do discurso que tenho ouvido por aí dos especiais especialistas da especialidade...
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

quarta-feira, 21 de junho de 2017

O que se seguirá?! #medo

Resumo deste ano lectivo...
Ainda falta o "Siiiiiiiiimmmmmmmmmm" à CR7...
#tamojuntas!
E os professores terão sobrevivido a isto?!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amedosquatro
Imagem tirada da net

segunda-feira, 19 de junho de 2017

Chuva amada...

A chuva chegou... 
Que traga alento e esperança e lave um pouco do sofrimento...
Assim que soube da notícia a Mariza ecoou no meu coração:
Chuva
"As coisas vulgares que há na vida
Não deixam saudades
Só as lembranças que doem
Ou fazem sorrir
Há gente que fica na história
da história da gente
e outras de quem nem o nome
lembramos ouvir
São emoções que dão vida
à saudade que trago
Aquelas que tive contigo
e acabei por perder
Há dias que marcam a alma
e a vida da gente
e aquele em que tu me deixaste
não posso esquecer
A chuva molhava-me o rosto
Gelado e cansado
As ruas que a cidade tinha
Já eu percorrera
Ai... meu choro de moça perdida
gritava à cidade
que o fogo do amor sob chuva
há instantes morrera
A chuva ouviu e calou
meu segredo à cidade
E eis que ela bate no vidro
Trazendo a saudade"
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

domingo, 18 de junho de 2017

Heróis da vida real...

Devo-lhes tanto - eu e todos!
À conversa com um, num momento em que agradeci a sua bravura, disse-me com a dor estampada nos olhos - que lhe escancaravam a alma: 
"Corajosos e fortes são os nossos familiares! Nós, no momento, não pensamos em nada que não seja salvar a vida dos outros, já eles, têm-nos no pensamento a toda a hora e temem o dia em que salvámos todas as vidas menos a nossa...". 

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

Já chega!


Que estas mortes sirvam, de uma vez por todas, para provocar mudanças profundas de modo a que este cenário nunca mais se repita.

Que Portugal, a Europa, o mundo se una no apoio, a todos os níveis, às famílias e amigos enlutados e a todos os outros atingidos.

2017 acabou de tornar-se um ano histórico pelas piores razões... 

Um bem-haja aos verdadeiros heróis desta vida - Os BOMBEIROS, os enfermeiros, os médicos, os profissionais de saúde em geral... 

Pedrógão Grande - Paz às suas almas...

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Mães a fazerem maezices... #tamojuntas!

Temos muitas mães e pais por aqui, mas também existem alguns filhos... 

Um deles mandou-me esta pérola com a legenda: "Quando o cuidado pela alimentação dos filhos atinge novos limites...".

Para garantir que ninguém comia doces ao lanche, a mãe do Alexandre contornou as sobremesas na película... 

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

terça-feira, 13 de junho de 2017

Sinto-me sozinha...

O homem foi viajar. São 4 dias longe de nós, de mim…
Ah e tal ele não faz nada… Então porque me faz tanta falta?!
Faz-me falta sentir o meu coração disparar, assim que oiço o barulho do carro a contornar a nossa casa…
Faz-me falta calcular o tempo que demora a estacionar, até ouvir o barulho inconfundível que faz a subir as escadas, enquanto brinca com o cão…
Faz-me falta abrir-lhe a porta de nariz empinado, voltar-lhe as costas, fugir para a cozinha, a fazer género, enquanto me rouba beijos e me aperta de encontro à bancada…
Faz-me falta ver os meninos a saltarem-lhe para os braços, aos gritos, a fazer queixinhas da mãe…
Faz-me falta poder lamuriar-me, descarregar a pressão do dia, disparatar sem medo que alguém fique traumatizado…
Faz-me falta falar das notícias do mundo externo e interno, trocar opiniões sobre tudo e sobre nada, antecipar acontecimentos, planear e contornar as dificuldades que nos aparecem diariamente…
Faz-me falta saber que estou protegida da maldade, simplesmente porque ele está em casa e é o super-herói de toda a família…
Faz-me falta o cheiro dele - que me arrebata desde que lhe fujo dos beijos quando me entra pela porta, até ao momento em que finalmente se deita, ao meu lado, beija-me e deseja-me uma boa noite, exactamente da mesma forma, há 18 anos…
Sinto falta das conversas animadas ao jantar, em que esperamos pacientemente que chegue a hora para o inteirar de tudo! Desde o golo marcado num treino, até à nota de um teste, passando pelas gracinhas dos mais novos e terminando com um entusiástico relato de uma visita de estudo… Depois chega a minha e a vez dele, de nos entre-olharmos, falarmos das coisas dos grandes, enquanto somos interrompidos pelos pequenos…
Dou por mim, muitas vezes, nesses momentos, a viajar no pensamento - ele fala, eu arrepio-me de amor, de orgulho, de desejo por achar que está a envelhecer tão bem, tão bonito, tão homem, tão ele, tão nós…
Sinto a falta dele, independentemente de fazer muito ou pouco, de ser imperfeito, de poder ser o que nunca foi ou de já ter deixado de ser o que alguma vez aparentou…
Amo-o assim, sinto a falta dele, pronto!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

segunda-feira, 12 de junho de 2017

Ele há razões que a própria razão desconhece...

Eu: Miguel (4 anos), tenho um livro para ti, está aqui atrás das minhas costas, chama-se: "O Rapaz que Desligou o Sol", antes de o veres podias tentar adivinhar o nome do protagonista, queres?
Ele: Ele desligou o Sol? Eu sei como se pode desligar o Sol! Construímos um foguetão e vamos até lá desligá-lo...
Eu: Uau! E não é que foi exactamente isso que ele fez?! Miguel, acho que acabaste de descobrir o nome do protagonista. Ele é tão parecido contigo que só pode chamar-se...
Ele: Tomás!!!

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

Matem-se CALADOS!

O resumo, do nosso fim-de-semana, numa imagem... 
Há por aí uma epidural para a maternidade?!#precisodeseranestesiada
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

sábado, 10 de junho de 2017

Perguntas inconvenientes...

Aquele momento em que apetece chamar o gerente do hipermercado - o mesmo que teve a excelente ideia de colocar preservativos com sabores à entrada das caixas - e pedir-lhe que seja ele a explicar a pertinente questão da tua cria... #masnão
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

quarta-feira, 7 de junho de 2017

Se saciar a sede, sacio também a fome...

Aquele momento em que estás desvairada de sede, pegas na garrafinha de água que tens na mala e a cria, como sempre, diz que também quer. Quando finalmente chega a tua vez de beber, é um misto de açorda de bolacha e de água que lavou pratos... #aguentasede 

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

domingo, 4 de junho de 2017

Diz que é feio espetar canetas em olho alheio...

Quando não consigo estar presente na hora da distribuição do pão, vejo-me obrigada a ir a uma mercearia que fica numa aldeia vizinha. O problema é que a dona lá do sítio é tão simpática quanto a ideia de morrer de encontro à parte da frente de um camião TIR…
Isto para o homem faz-lhe tanta comichão como saber que há um saguim a roubar amendoins em Marrocos… Está-se borrifando! Entra mudo e sai calado, na maior! Diz que tentou 2/3 vezes que lhe dissesse “boa tarde”, ela nem levantou os olhos da Cruzadex – desistiu!
Já eu…
Eu não aguento! Tem dias que me apetece espetar-lhe a caneta da Cruzadex num olho! Há 3 anos que lá vou, pelo menos uma vez por semana. Digo “boa tarde” quando entro, “boa tarde” antes de pagar o pão, agradeço e volto a dizer “boa tarde” antes de sair… NUNCA RESPONDE e só me olha para a mão!
Escusam de dizer que nasceu sem ouvidos, porque quando lhe pergunto o preço das coisas ela rosna a resposta…
Acho SEMPRE que as pessoas são assim porque têm problemas graves que nem sonhamos ou uma perturbação da personalidade ou simplesmente não engraçam connosco. Por isso, faço uso do meu auto-controlo e engulo alguns sapos e muita vaca malhada, sem pestanejar. #respeitoacimadetudo
Mas, aquilo fica a pupular-me no cerebelo. É-me tão massacrante que passou a ser o homem a ir lá. Gostamos tanto do raio do pão...
Ontem, tive uma ideia infalível! E disse ao homem:
Eu: Hoje o pão fica por minha conta e, digo-te já - vou fazer a Miss Cruzadex dizer-me “boa tarde”, sem ser preciso ser mal educada para ela!
Ele: Hummm, não te metas nisso, vais aleijar-te! Eu fico aqui com o meu cigarro, qualquer coisa, faz-me sinal que eu arranco-a dos teus cabelos…
Eu: Ai credo, cala-te e aprende!
Eram 16h05! Ainda antes de colocar meu sapato na loja, vi logo a Senhora Crocodilo a escrever na Cruzadex, afincadamente!
Boto um pé no degrau, encho o peito de ar, levanto os braços ao nível dos ombros, alço o outro pé à retaguarda e vomito toda a Sandie Shaw, a Floribela, o João Baião, o Macaco Adriano, a histriónica pessoa que guardo, numa gaiola, dentro de mim:
Eu: BOOOOOOMMMMMM DIIIIIIAAAAAAA, ALE….
(Num salto, interrompe-me…)
Ela: É BOA TAAAAARRRRDE!!!
(Até a Cruzadex voou para parte incerta) #oufugiu
GANHEI!!! IIIIIIUUUUUPPPPPYYYYYY #sosimple
Eu juro que tive medo que lhe saísse um: “BOM DIA, O C**ALHO!!!".
Lá se ia o meu plano…
Olho para trás e estava o homem a chorar a rir. Pisco-lhe o olho…
Vou buscar o pão. Digo “boa tarde” à senhora, pago, agradeço, digo “boa tarde” novamente e saio - sem resposta - mas já com o sentimento vitalício de vitória! #comrespeito
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

sábado, 3 de junho de 2017

Aliança, fora!

No sábado passado andei em pinturas o que me obrigou a tirar a aliança.
Resolvi juntar o útil ao agradável e testar o homem… #paravariar Objectivo: Indagar quanto tempo passava sem ele notar que eu andava sem o nosso símbolo do amor eterno...
Não tentem isto em casa! Estas experiências são levadas a cabo por uma profissional experiente!
Há coisas que custam horrores mas que têm de ser feitas! #adoro
Sou tão amorosa que considerei o exagero de 47/48 horas e 37 minutos como o tempo para o homem dar conta da terrível situação. Obviamente que era sua obrigação reparar no segundo a seguir, mas... sou assim, que fazer? Aguardei pacientemente. #maisoumenos
Passou um dia e outro, outro e mais outro, enquanto eu ia acumulando o azedume… (E ele também, já que não percebia de onde vinha todo aquele meu afecto extra pela sua pessoa…). #supostamente
Ontem à noite, prestes a fazer uma semana… Passei-me!
Disse, de mim para o meu nervo a borbulhar: “Enough is enough”!
Chamei-o ao quarto, com aquele tom meiguinho na voz:
Eu: ÓOOOO PEEEEEEEEEDRO!!!
Ele: Uuuuuuui! Vem lá coisa…
Eu: Não notas nada em mim, não é?! NADA!
Ele: (Olhou-me dos pés à cabeça, com cara de canguru diabético).
Estás mais gor… (ia-o abatendo com o olhar) … quer dizer, pintaste o cabelo?! Depilaste as sobrancelhas?! Roupa nova, é isso, não é?! Essa t-shirt…
Eu: Comprei nas férias, há 5 anos!!! (Eu já bufava…).
Ele: Hummmmm creme na cara?! Pestanas novas?
Eu: Ainda me gozas… Esquece, isto é demais para mim!
(Virei costas num movimento de pernas perfeito e, tão veloz, que até meu cabelo esvoaçou…).
Adorava ficar-me por aqui, nesta singela história, que tudo tinha a meu favor e de todas as mulheres que, como eu, podem aparecer de cabelo rosa florescente, que os seus maridos não notam! #tamojuntas!
Mas pronto, vamos lá a isto… #dóimuito
Estava eu, a rebentar de razão, prestes a bater a porta #doquarto, quando oiço:
Ele: Será que estavas a referir-te à nossa aliança?! Há uma semana apanhei-a do chão do WC…
Eu: (Só gemi… baixiiiiiiinho… ok, e gaguejei qualquer coisa impercetível… e tentei acordar o neurónio para me ajudar a arquitetar uma boa vingança… mas estava morto morrido, nem se mexeu!).
Ele: Ao fim de uns dias, deixei de achar piada ao facto de não dares pela falta dela… vendi-a!
Eu: Hã?! Tu o quê?! Achas que acredito nisso?! HAHAHAHAHAH que coisa tão parva! Há coisas com as quais não se brinca, Pedro Marques!!! #sóeuéqueposso
Ele: Agora que estás mais calma #not olha lá tu para mim…
(Leva o mindinho anafado até ao olho e finge que está a coçar-se, a estúpida da aliança, estava ali mesmo, a estrafegar aquele dedo gordo! O meu neurónio permanecia inanimado…).
… Tenho andado sempre com ela e tu… nada! Hoje ia ter uma conversa contigo, poupaste-me o trabalho…
E eu que só queria um casalinho…
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro