Translate

terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

A Idade do Armário...


Então é a isto que se referem quando dizem que o meu primogénito esta na "Idade do Armário"? É que realmente, quando me deparei com este espectáculo, apeteceu-me encafuá-lo num armário cheio de traças!
Aqui para nós que ele nem sonha, depois de ouvir as suas pertinentes explicações tive de conter o riso. É que o desgraçado fez isto com aquelas canetas que supostamente ficam transparentes... MAS APENAS NO PAPEL!
Ele não contava que isto ficasse visível, mas quando secou...ATÉ BRILHAVA!
Só queria que vissem a cara dele quando entrei no quarto... Acho que já foi penalização suficiente, mas tentei pelo menos franzir o sobrolho e manter o olho no olho enquanto ouvia as súplicas do "piqueno"...
Estive prestes a descompor-.me em riso quando aponto para aquela pilinha perfeitamente desenhada e pergunto:
Eu: Diogo Maria, o que é isto?!
Ele: Uma mosca mãe, não vês?!?!
(Foi complicado, mas aguentei-me estoicamente).
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

Feira da Ladra debaixo do sofá...






Aqui está tudo o que eu acabei de encontrar debaixo de apenas um sofá. Tenho mais 3 para desbravar, estou só a tentar arranjar forças.
Dava para equipar todo um quarto, há um bocadinho de tudo...
Não, não passei 3 meses sem levantar os sofás, se passou uma semana foi muito!
Fico sempre abismada com a cara e a atitude deles quando vêem o que retirei, parecem as pombas quando lhes damos milho, é tudo a ratar o mais que podem, a uma velocidade vertiginosa. Como se fossem os únicos brinquedos que têm e não os vissem há mais de 1 ano.
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro
#tamojuntas

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Um dia vou legislar!

Às vezes dá-me ganas de entrar na política só para poder criar leis. 

Uma delas seria proibir as criancinhas de comer, mexer, respirar e tremer durante 2 horas após a casa ter sido limpa. 

É a única forma de quem limpou ter ali um tempinho simpático para apreciar o seu feito antes de voltar tudo ao mesmo...

Quando eu fui viver com o homem e ele era um rapaz novo, que ainda realizava alguns rituais de acasalamento para a minha pessoa e não tinha suga fortunas como os nossos quatro filhos, sempre que era ele a limpar a cozinha, assim que terminava o feito, convencia-me que tínhamos de ir almoçar ou jantar fora para não a sujar... #umquerido

Eu lá fazia o esforço.

Já eu, nunca consegui convencê-lo do mesmo...

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro
#tamojuntas

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Amor de irmão... #ounão


O Miguel (4 anos), tal qual um anjinho, de cabelo aos canudos e tudo, resolveu dar uma maozinha nas tarefas domésticas e, ao mesmo tempo, mostrar o seu amor fraternal (ele nunca perde uma oportunidade para demonstrar o seu afecto pela mana, é mais forte que todo o seu ser).

Foi ao estendal, daqueles portáteis, pegou estrategicamente na roupinha de sua irmã e ala lá para baixo... 

A sorte é que o Simão Cão preferiu ficar estendido ao sol e não foi passá-la a ferro, portanto, as vestes ficaram ali...

Eu: Miguel, sabes o que se passou com a roupa da Clarinha?
Ele: Caiu!

Raisparta à roupa...

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!





sábado, 25 de fevereiro de 2017

Quem é o Vilela?!

Na semana passada, o Arcanjo Miguel (4 anos) esteve adoentado, não foi à escola um dia, ficou comigo em casa.
À noite, quando o pai chega a casa pergunta-lhe se está melhor e o que fez durante a sua estadia em casa:
Ele: Estou melhor pai e brinquei com o Vilela.
Pai: Com o Vilela?! Quem é o Vilela?
Ele: Um amigo da mãe!
(Eu até aqui não tinha dito nada porque pensei que era aquela coisa fofa das crianças terem um amigo imaginário. Nenhum dos meus 4 teve, portanto pensei que tinha chegado o dia de eu ter uma criança "normal"... Mas não... Claro que não!).
Saio da cozinha disparada...
Eu: Ó Miguel, mas que conversa é essa?! (Digo eu de batata meio descascada e de facalhão na mão). Nem sequer conheço alguém com esse nome!!!
Pai: Ahhhh olha a mãe tão nervosa, não sabia que tinha um amigo chamado Vilela que vinha cá a casa... Tem calma, Rita! (Só queria que ouvisse o tom usado em "RITA").
Miguel: Estivemos a jogar à bola, pai! (Diz tranquilamente...). #oraiodoputo
(Cuspi-me toda a barafustar, troquei sílabas, tremi de um olho, deixei cair o facalhão, fiquei cheia de comichão no nariz por causa de abanar a cabeleira com os nervos, cocei-me com as mãos sujas do amido da batata, entrou-me todo um cabelo pela boca e tudo isto enquanto tentava manter um ar credível perante o homem embasbacado...).
Desisti e voltei para a cozinha, não sem antes tropeçar no meu próprio pé...
Desde então oiço todo o tipo de piadinhas, piadolas, piaduscas, vindas das entranhas do homem...
Ah e tal as criancinhas não mentem... O TANAS!
Só vos digo que se fosse ao contrário OBVIAMENTE que eu acreditava na palavra do homem!
Se um dos meus queridos filhos me contasse que esteve a brincar com uma amiga do pai, em nossa casa, ÓBVIO que eu não ia acreditar, nem tocava mais no assunto!
(Nunca iria examinar exaustivamente o telemóvel, o Facebook, o PC, o Tablet, a carteira, o carro, os bolsos, toda a sua roupa, torturá-lo com perguntas de todo o género e ameaçá-lo que o acarinhava bem ao jeitinho da outra que cortou o sangalho do seu senhor,...).
Mas enfim, é o que temos por cá... #eucortavaohomemàspostasfininhas
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro
#tamojuntas

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

O beijo do SimãoAranha!



Atrevam-se lá a dizer que não está igualZINHO! 

O mesmo glamour, o ardor da paixão, a beleza dos intervenientes, o olhar apaixonado... (ok, há uma diferença... não está a chover!)

Pedro, já foste!

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!

#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro
#boxer
#amor #love
#beijodohomemaranha
#kiss
#spidermankiss
#spiderman

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Desde que nasceu o meu primeiro filho, e que começou a espatifar brinquedos só porque sim, tento transmitir-lhes que podemos sempre reciclar os brinquedos.
Mesmo que já não funcionem ou não façam barulhos (o que muitas vezes é uma bênção), continuam a ser giros e basta ser-se criativo para continuar a dar-lhes uso.
Eles DETESTAM esta minha conversa e ontem tiveram a oportunidade da sua santa vidinha para se vingarem de mim.
Parece que mordi a língua...
Raisparta aos miúdos que não perdem uma. Estavam tão afinadinhos que parecia o Coro de santo Amaro de Oeiras!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Definição de Mãe!


Ah e tal é tão difícil definir o que é ser mãe...
Nem por isso, está quase tudo aqui!

Definição de Mãe!

Boa semana para todos!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!

#amaedosquatro
##eeuquesoqueriaumcasalinho
#ammaternidade #mae #amor #parentalidade #familia #tamojuntas #definicaodemae

domingo, 19 de fevereiro de 2017






É de tal maneira que quando vou comer o que fiz PARA MIM já está frio, amassado, ratado e temperado com gafanhotos, porque eles, coitadinhos, não aguentam esperar e vão espatifando o que é meu.
Olho para aquilo e tem uma nesga do aspecto inicial.
Depois dizem que é feio comer às escondidas, para a próxima vão ver (aliás, não vão sequer ver...).

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

sábado, 18 de fevereiro de 2017


Bora fingir que o choro era de uma alegria esfuziante?!
Muito obrigada, hoje por mim amanhã por vocês!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro
#tamojuntas

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Socorro, o Didi está apaixonado!

O Didi (11 anos) anda de olho numa menina da turma dele...
Andámos a semana passada num autêntico "brainstorm" de ideias de presentes para o dia dos namorados.
O pai com a sensibilidade que lhe é característica, em vez de ideias, disse-lhe que se é o dia dos namorados é entre eles que há troca de presentes. O Didi rematou confiante e sabiamente com um "por enquanto, mas nesse dia vai ser!" #Tau
Eu sugeri coisas fantásticas #naperspectivadomulheredo, tais como, um desenho giro, cheio de empenho, com materiais surpreendentes e com janelinhas para abrir, onde teria o tal pedido formal... Não é qualquer coisa?!
Ele ia-me matando... e atirando toda a minha criatividade pela janela...
Desisti de tentar ver a coisa pelos olhos de uma mulher.
Vai de investir em algo prático, que não desse nenhum trabalho ao rapaz e que surtisse o efeito desejado - pedi-la em namoro e tá a andar! "Então compra-lhe um chocolate!". Os olhos dele brilharam, "boa, mãe"!#Clarocoisadegajo
Contudo, ocorreu um pequenino problema, fui às compras e NUNCA mais me lembrei da situação deveras delicada em que se encontra o rapaz.
Cheguei a casa de maozinhas a abanar, assim que o vi, pimba, fez-se luz de holofote!
Eu: Filho, sabes, estive a pensar e um chocolate é coisa sem grande imaginação! Vamos lá perder mais um tempinho a pensar em algo que tu também gostasses de receber e que fosse saudável...
Ele: Olha mãe então compra-lhe bróculos!!! Fooooogo parece que temos muito tempo para pensar!
Eu: Pois, quer dizer, errrrr e um...
Ele: Um livro!!! Compra-lhe o "Diário de um Banana"! É isso mãe!!! Assim até temos coisas para conversar e rir e eu gosto de receber, tal como disseste!
Eu: Olha vês?! Excelente ideia, tu tens a colecção toda, dá-lhe um dos teus! Assim reciclas um livro e tudo e...
Ele: Nem penses!!!! Sendo assim,o chocolate está muito bem, mãe, muito bem!
Amor, amor, coisinhas que gosto à parte... #jánascemhomens
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro

domingo, 12 de fevereiro de 2017

Dezoito anos de um amor maior!

Estamos os 2 de parabéns!
Dezoito anos de nós… Se isto não é amor, não sei o que é!
Tem dias que me apetece bater com a porta, outros em que me apetece dar-te com a porta mas, outros há, em que consigo ver a tua essência, aquela que me levou a apaixonar-me por ti. Nesses dias não resisto a dizer-te 638 vezes o quanto te amo….
Em 18 anos atingimos uma intimidade tal que podemos prestar-nos a tanta coisa, das que me dão mais gozo são rirmo-nos um do outro, um para o outro e de nós próprios à frente um do outro!
Mas é tão curioso como nunca passamos a linha, já reparaste que temos uma linha?!
Nunca falámos disto… um limite, que embora seja bem claro, nunca foi traçado formalmente por nenhum de nós.
Já viste? Aconteceu naturalmente. Talvez seja fruto do respeito, do conhecimento profundo de cada centímetro um do outro que os anos, as perdas, as conquistas, a partilha da dor, do amor, da alegria nos foram proporcionando e mostrando até onde podemos ir...
Dezoito anos também permitiram que conheça o teu cheiro melhor do que o meu e, mesmo assim, que ainda feche os olhos quando me abraças só para o sentir em toda a plenitude e o friozinho que me dá na barriga? Ok agora é barrigona...
Sabes, esse teu cheiro já está em mim, nos nossos filhos… em nós!
Tornámo-nos numa amalgama de 6 pessoas, já reparaste? Não sabemos onde começam uns e acabam os outros… Isso é doloroso, uns dias mais do que outros, mas deveras doloroso.
Eles são muito pequenos, precisam mais de nós do que de água para viver e nós temos dias que precisamos também e temos outros que só nos apetece deixá-los com sede e fugir…
Tentamos soltarmo-nos não é?
Dizes-me que quando eles crescerem vamos voltar a namorar como se não houvesse amanhã e curtiremos a nossa velhice a viajar e eu que nem pense que vou ser uma avó que fica em casa a cuidar dos netos, nem pensar! Aí é que vamos viver para NÓS! À bengalada, sempre à bengalada um ao outro, dizes-me tu… Será?
E o efeito que a tua voz provoca em mim?! A tua voz tem um efeito "looping" na minha pessoa. Ora dá-me paz, a paz que preciso para a transmitir a eles, a nós, ora dá-me uns nervos que só me apetece aniquilar-te com uma pisadela certeira!
É mais um privilegio concedido pelos dezoito anos. Posso sentir por ti, no mesmo dia, às vezes em apenas uma horita, todo um espectro de sentimentos que vão do ódio à paixão, sem que isso belisque a nossa relação.
E quando estamos sozinhos?! Não é MEEEESMO sozinhos, isso é quase impossível, quando nos permitimos ser um do outro, como se não existisse mais nada, como se eles não estivessem no quarto ao lado, aliás em 3 quartos a rodearem-nos por todo o lado… Volto a ter 20 anos… na paixão, na entrega, na ternura, no amor… Ufffff fico pronta para mais 18 anos disto tudo!
Amo-te, Pedro!
Amo o teu olhar, o teu sorriso, as tuas mãos, o teu toque!
Amo a tua barba mal aparada encostada à minha cara!
Amo as tuas gargalhadas e o nosso olhar cúmplice!
Amo quando te dás ao tremendo e extenuante trabalho de me tentar dar a volta!
Amo quando pedes desculpa a olhar-me nos olhos. Tu és dos que olha nos olhos!
Amo-te, desde o cabelinho branco às unhacas dos dedos grandes e gordinhos desses pés!
São 18 anos! Bolas, se isto não é amor não sei o que é… <3
Rita <3

sábado, 11 de fevereiro de 2017

Tau!

#eeuquesoqueriaumcasalinho #amaedosquatro #amor #love #tamojuntas

Temos de mostrar à máquina de lavar loiça quem é que manda aqui!

Se há coisinha que eu dava um pedaço generoso do lóbulo da orelha para não ter de fazer é lavar loiça à mão... ODEIO!
E, como odeio, são inúmeras as vezes que ao retirar a loiça lavada da máquina vejo um copo ou travessa ou tacho ou tudo junto que resolveu comportar-se como um íman de toda a bodega presente nas redondezas.
Uma pessoa normal o que faz? Tira e lava à mão.
O que faz a minha pessoa?
Volta a colocar lá dentro ou então nem chega a tirar, isto apesar dos vastos anos a usar máquinas de lavar me dizerem que assim que o merdum seca e cola, tipo lapa, ao vidro de uma treta qualquer, só sai esfregando avidamente.
Eu tenho esperança que a máquina se sinta mal e diga que tem de justificar a catrefada de dinheiro que dei por ela e, portanto, na próxima lavagem se esfalfe para atingir o pico da perfeição. Até a motivo, com palavras de amor, antes de fechar o raisparta da porta!
Outra hipótese tão brilhante, válida e inteligente como a anterior é que com o treino ela vá tendo um melhor desempenho. Lavou um copo menos bem, mas agora com a experiência acumulada a coisa vai sair muuuuuuito melhor, nem que para isso tenha de treinar por mais 6 lavagens...
Vejam lá que a minha boa vontade é tanta que chego a baralhar as peças, para a confundir, estão a ver a ideia?! Assim ela pensa que é loiça diferente e lava logo de outra maneira, "Ahhh e tal isto sim merece ficar lavado com dignidade!".
Mas não...
Findo este ciclo INVARIÁVEL de falhanços, coloco o material num cantinho para o lavar à mão, "assim que possa", depois é só fingir que me esqueci dele lá. Como moro no campo pode ser que uma osga, um sapo ou até um daqueles moscardos gigantes se encarreguem da tarefa. Esta hipótese é mais provável do que ser o homem a arregaçar as mangas e colocar um avental...
É por estas e por outras que eu costumo dizer que se tivesse umas patacas valentes, a ponto de me sobrarem desalmadamente ao final do mês, contratava alguém só para lavar esta loiça à mão e, já agora, para fazer exercício físico por mim, vá... #odeiotantoumacoisacomooutra
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017


Verdade, verdadinha!
Acrescento apenas: "... e com mais cheiro!".
Eu só gostava de saber qual o motivo para o meu primogénito considerar pertinente mostrar que "supostamente" sabe dar puns com o sovaco. Se eu já dispenso os outros e mostro isso mesmo de forma ostensiva, why? Why me?!

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro
#tamojuntas

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Tudo coladinho!




Ora aqui está o artista com um penteado novo… O artista que me ia provocando 3 AVC´s, um treco lareco e um flick flack à retaguarda!!!
Sabem, há “medicamentos” certeiros, um deles é o amor!
O mano velho quis dormir com o Gonçalo.
Do seu quarto trouxe a almofada e o seu livro favorito. Mas, de si mesmo, trouxe tudo o que tem de melhor, o carinho, a empatia, o sentimento de pertença, a necessidade de cuidar do irmão, a boa disposição, o amor fraternal… O meu orgulho neste menino tem um valor ilimitado!
Outro “medicamento” tão ou mais poderoso é o riso!!!
Acho que a veia apalermada que cada membro desta família tem ajuda em muita coisinha menos boa e nesta foi fundamental!
Então não é que a encomenda de livros que eu tinha feito no dia anterior ao episódio sem luz nem cor chegou ontem?! Logo no dia em que o safado tinha de ficar em casa a repousar sem grande agitação?! Isto para uma criaturinha de 7 anos não é fácil, mas deu-se o milagre dele agarrar neste livro tão tonto como ele e puffff andou entretido até à noite.
Leu em voz alta e gargalhou tanto que, por vezes, agarrava-se à cabeça e dizia: “Ai que isto dói, tenho de me rir mais devagarinho!!!”.
Eu também ri, ri muito, ri sem ser devagarinho, gargalhei, chorei a rir! O livro tem graça, é um facto, mas o meu riso vinha cá de dentro, do corpo, da alma, do coração.
Ri de felicidade, ri de o ver tão bem, ri de o ter de volta…
Falta agradecer à professorinha do meu Gonçalo que assim que foi chamada, em plena hora do almoço, na única hora de descanso que tem, voou para prestar os primeiros socorros à cabeça e ao coração do seu menino.
Lidou com a situação assustadora do Gonçalo e com a reacção de todos os seus coleguinhas, que naturalmente ficaram chocados com o que assistiram. Um bem-haja querida professorinha, como podia eu não ser sua fã?! A culpa é sua!!!
Àquele doce bombeiro que me contou a sua vida de 32 anos, de trás para a frente e de frente para trás, de baixo para cima e de cima para baixo. Rindo-se de si próprio, fazendo-nos rir dele e para ele. O quente da sua mão, a paz do seu olhar... Muito obrigado! <3
E já agora, BENDITA EDITORA, CHIÇA PENICO CHAPÉU DE COCÔ!!! Nem sonham o que fizeram por nós..
E eu que só queria um casalinho…
A Mãe dos Quatro!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Tive medo de perder o meu filho...

Um dia podia calhar por cá... Com 4 filhos a probabilidade é imensa. E ontem foi o dia...
Ouvi o telemóvel e era o tão temido número da escola dos 3 rapazes. Sempre que o vejo penso logo no Miguel (4 anos), é algo automático. É o mais irrequieto, o mais novo, o que fica mais vezes doente.
Do outro lado oiço: "É a mãe do Gonçalo (7 anos)? Por favor, tente ficar calma que o Gonçalo está bem mas... Chamámos a ambulância porque ele partiu a cabeça”. Está muito choroso e..."
(Deixei de ouvir... Eu estava em casa com a Clarinha. Senti as pernas bambas, a mão tremia, comecei a viajar nos pensamentos, a sentir o medo e a angústia dele por estar sem um de nós, sem a sua família. Imaginei-o na ambulância sem a minha mão… Comecei a planear mentalmente tudo o que tinha de fazer para chegar junto dele. Entretanto, lembrei-me que o Didi,o ídolo do Gonçalo, estaria lá na escola a fazer tempo para que chegasse a hora do autocarro. Isso fez-me voltar a mim, as lágrimas caiam, nem sei o que disse ao telemóvel, só queria desligar para poder falar com o Didi, com o marido e voar para lá).
Liguei ao Didi, num sopro engoli o choro e disse o mais rápido que consegui: "Amor, vai para ao pé do mano Gonçalo que ele partiu a cabeça e precisa de ti. Fica com ele até um de nós aparecer, dá-lhe a mão filho, com força, corre!".
Liguei ao marido, pedi-lhe que voasse, ele estava a trabalhar… a quase 60 km da escola.
Lancei a mão à primeira roupa que vi, vesti-me e fiz o mesmo com a Clarinha. Saí disparada de casa com a menina no colo e liguei para o Táxi. No local onde moro já sei que só com muita sorte conseguiria que atendessem o telemóvel, não a tive. Tentei boleia de algum vizinho mas nenhum estava em casa.
Voltei a ligar ao Didi e ele estava nitidamente em choque, não dizia coisa com coisa, apenas referia que o mano estava cheio de sangue, que até havia sangue no teto do wc. Recusou-se a passar-lhe o telemóvel porque ele tinha as mãos cheias de sangue. A ambulância ainda não tinha chegado.
Não vale a pena contar o estado em que fiquei depois daquele telefonema, sei que conseguem imaginar.
Não passava um único autocarro, decidi ir a pé. Queria lá saber da chuva e do peso da menina, estava a apenas 4km do meu filho.
Vejo o carro do meu marido a chegar perto de mim, acho que foi na hora H, eu estava a perder as forças. A menina chorava sem parar…
Quando estamos a chegar junto ao portão da escola recebemos uma chamada da auxiliar a dizer que a ambulância não podia esperar mais e que iam seguir viagem.
Saio do carro a correr, vejo imensos curiosos junto à ambulância, que perceberam de imediato que tinham de se desviar para me deixar passar. Não consigo expressar por palavras o que senti quando vi o meu filho, quando subi as escadas daquela ambulância, jamais esquecerei o momento em que nos olhámos e sorrimos um para o outro. Agarrei-lhe a mão, finalmente! Pedi-lhe desculpa…
Estava lívido, apático, coberto com uma manta, de cabelo ensanguentado e via-se o corte profundo.
Falámos, falámos, rimos, chorámos. Eu e o bombeiro tínhamos um objectivo claro, não o deixar adormecer. Houve momentos em que pensei que não ia conseguir. Mas, mais umas piadas, mais umas festas vigorosas e lá o íamos aguentando. O bombeiro piscava-me o olho e quando me via mais assustada tocava-me no braço. O meu desespero era tal que resolvi confiar nele, como se tivesse poderes sobrenaturais, entreguei-me…
A viagem parecia durar há horas, eu tentava disfarçar o esforço que fazia a olhar pelas frestas das janelas a fim de perceber onde nos encontrávamos… Mais uma vez o bombeiro tocava-me, mais uma vez deixei-me ir com ele…
Chegámos ao hospital, descansei, descansámos…
Por hoje não consigo contar mais…. Estou extenuada, não dormi, passei a noite numa reflexão obsessiva e focada nos “ses”, no que podia ter sido e que, apesar de tudo, felizmente não foi.
Experimentei a amarga e profunda dor provocada pelo medo de perder o meu filho e isso foi avassalador e ficará marcado em mim como uma tatuagem… para sempre!
Neste momento estou feliz, tenho-o comigo, debaixo da asa, cheio de dores mas são e salvo, sou rica, milionária!
E eu que só queria um casalinho…
A Mãe dos Quatro!

quarta-feira, 1 de fevereiro de 2017

O bom malandro não estrilha, muda de esquina...

Tenho cá para mim que o homem deu início a um plano maquiavélico, diabólico, sádico de vingança da minha santa pessoa!!!

Se não veja-se... Fez um pudim, tirou uma singela fatia e deixou-o escarrapachado no frigorífico, bem na prateleira do meio, onde só faltava um letreiro em néon a dizer: COME-ME QUE EU GOSTO! 

Até tinha o caramelo ao lado a rir-se para mim enquanto me fazia olhinhos e ele?! Ele foi trabalhar... Deixando o caminho livre, desimpedido... Ele que nem um ervilha murcha partilha comigo, deixou aquilo ali...


Ele sabe perfeitamente que eu não tenho controlo sobre uma série de coisas mas sobretudo sobre a minha vontade de comer seja o que for que tenha açúcar... 

Temos um acordo há quase 20 anos que consiste na responsabilidade dele ESCONDER tudo o que contenha mais de 5 pacotes de açúcar por 100g de qualquer coisa ou então NÃO COMPRA!!! 

Portanto, isto não foi inocente, aaaaaiiiiiiii não foi não!!!!

Mas ele não pense que me vence (até rima) porque nem lhe vou tocar...

Isto era a minha ideia inicial, JURO! Mas depois:
1º Ahhhh vou buscar uma colherinha de café e tiro só um bocadinho tão ridículo que ele não nota e eu satisfaço aqui o bicho inquieto;
2º Pronto!!! Deixei isto tudo torto, nota-se a porcaria da colherinha dasssss
3º Ele sabe lá o tamanho da fatia que comeu, vou masé tirar aqui uma tira de pudim e fica certinho que até dá gosto!!!
4º Epáaaa isto está tão bom!!! Caraças mais ao homem!!! JÁ SEI!!!! Vou dizer que deitei no lixo para que ele aprendesse a respeitar-me!!!
5º Enfardei a porra do pudim a uma velocidade tal que tive de tirar uma imagem da net para servir de exemplo à minha estupidez natural...
6º WC
7º WC
8º ...

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!



Foto de E eu que só queria um casalinho.