Translate

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Quando ela souber...


E lá foi ela, de cabelo ao vento, agarrada ao seu príncipe, ao mesmo tempo que lhe dá um cafuné na orelha... Ele sorri, discretamente, enquanto a conduz velozmente pelo jardim, no seu descapotável (o cavalo branco dos tempos modernos)... #porenquantoaindavaitendograça#quandocresceraidelaqueissoéqueerabom#minharicafilha

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Cheirinho bom, tá quieto!

Nunca filho meu cheirou mal dos pés! Até este verão...



O cheiro está ali algures entre o do vomitado de iogurte azedo e o da jaula dos gorilas, estão a imaginar?! Não, desculpem mas não calculam!

Eles, entram em casa, descalçam os ténis e vão escarrapachar-se no sofá, de pezinhos ao ar...

Quando uma pessoa entra na sala é uma estaladona de cheiro daquelas de virar a cara! Dói tanto...

E, como mãe que é mãe não tem vómitos por nada que venha das entranhas das suas crias, está ali uma pessoa a aguentar estoicamente sem emanar qualquer tipo de sinal de que está em profundo sofrimento!

Limito-me a esbracejar para os mandar para o banho, sem emitir qualquer tipo de som, não vá ficar sem ar e depois tenho de respirar fundo aquele gás poluído. Aquilo, se toca entrar-me até ao estômago, é coisinha para me provocar uma diarreia...

Quem começou o movimento do chulé foi o Didi e, como o Gonçalo está naquela fase deliciosa de imitar tudo o que o outro faz, pimba, vai de cheirar mal também. Nunca é menino para ficar atrás...

Enquanto um está no banho, o outro, à espera, não consegue estar "sugatido" e, portanto, como de costume, anda aos saltos por cima da minha cama, a esfregar-se na minha e na almofada do paizinho e entretanto vai até ao quarto brincar um bocadito e depois tem um chichi inadiável e uma fome insuportável, ou seja, TODA a casa é premiada com aquele chulé de ir às lágrimas!

E eu que só queria um casalinho...

A Mãe dos Quatro!

https://www.facebook.com/eeuquesoqueriaumcasalinho/

Já somos 500 no Facebook!


Já somos 500?! Sendo assim chegou a hora de apresentar os pais! By the way... Obrigado!!! 

A Mãe dos Quatro! :*

domingo, 28 de agosto de 2016

The first!


Hoje chegou o dia de apresentar o Didi! 

Tem 10 anos, é “muita” giro não é? Então se, sempre que eu lhe peço, me deixasse aniquilar aquele bigodinho… Ui, aí é que era um rapaz compostinho! 

É o segundo palhacinho da família (não faço a mínima ideia de quem arrecadou o primeiro lugar :P).

É um pré-adolescente e se este “pré” já me dá “agua p´la barba” (ok, pelo buço…) então não quero MESMO que a coisa avance. MEEEEDDDDDOOOOO!

Já come mais que o pai (do que eu ainda vai ter de se esforçar mais um bocadinho…) e tenta engrossar a voz para nos fazer frente mas, ao mesmo tempo, grita que nem uma histriónica quando vê uma osga…

Adora futebol e está convencido que vai ser um profissional da bola… (HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH).

MAS, tem um coração do tamanho de um camião TIR com atrelado e, quando é menos diplomático, não consegue ficar sem pedir desculpa (ou seja, pede desculpa 754626464 vezes por dia)!

É fã do paizinho (tinha de escrever isto, mas vai assim meio encafuado, para ver se ninguém lê, já que não tem importância nenhuma, porque mãe é mãe!!!).

É o meu primogénito! <3

E eu que só queria um casalinho...

A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho #amaedosquatro

sábado, 27 de agosto de 2016

A culpa não é dela, o avô é que nunca devia ter morrido...

Estou a chegar àquela fase em que já não gosto do que vejo ao espelho!

Contudo, após uma looooooonga e exaustiva reflexão, dei por mim a concluir que isto do estar gorda ou magra é muito relativo.

Por exemplo, sou gorda quando tiro fotos de baixo para cima (com direito a duplo queixo, a cabeça de alfinete e a um troco mais largo que o do meu marido) e sou magra quando tiro fotos de cima para baixo.

Sou gorda para toda a gente que me vê e me conhece há 37 anos, mas sou magra para todos os que me conhecem há 37 anos mas vai para 20 que não me põem a vista em cima.

Para os meus filhos eu sou gorda, mas apenas quando lhes causo qualquer tipo de frustração e sou magra quando sou permissiva.

MAS, se o meu avozinho fosse vivo, em nenhuma situação possível ou imaginária eu seria gorda.

Para ele eu estava SEMPRE magra, mesmo quando comia meio quilo de esparguete com esparguete só para o agradar e ouvi-lo dizer: “AHHHHH que ninguém gosta tanto de esparguete como a minha neta!!!!”.

Quando acabavam as férias, lá em casa dos meus avós, eu ficava irreconhecível de tão insuflada.

Lembro-me dos risinhos do meu pai quando voltava a ver-me, volvidos 3 meses na engorda.

Conclusão, a culpa de eu estar gorda é do meu avô ter falecido!!!

Se ele fosse vivo eu ia morar com ele e era magra para sempre!

Quanto muito tinha de plantar umas batatas e apanhar umas couves, mas, apaixonado por mim como era, bastava dizer que me doía o músculo da barriga da perna e ele era senhor para me obrigar a ficar 15 dias a descansar, a ver TV deitada no sofá e a comer esparguete com esparguete!

Mas não, como já faleceu dá-me para encanitar com o que vejo ao espelho e com a opinião dos meus filhos e afins...

E eu que só queria um casalinho...

A Mãe dos Quatro!

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Juntas Somos Mais Fortes!

Mães de filhos que fazem birras horripilantes em locais públicos, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que se recusam a cumprimentar as pessoas e quando são alvo de beijos limpam a cara, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que dizem às pessoas que elas cheiram mal, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que recebem presentes de amigos ou familiares e dizem que não gostam, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que vos chamam aos gritos para lhes limparem o rabo quando vocês estão ao telemóvel com o patrão, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que dizem que a comida da escola, da vizinha, da prima, da avó, é melhor do que a vossa, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que dizem às vossas amigas que queriam que elas fossem mães deles, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que dizem que gostam mais do pai, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que se agarram às vossas pernas aos berros enquanto vocês cozinham, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que irrompem pela casa de banho quando vocês estão a fazer cocó, um clister, a depilação ao pipi, a mudar o penso ou outras coisas assim bonitas, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que lhes roubam o último bocadinho da porra do chocolate, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que, quando os pais chegam a casa, os filhos dizem que vocês passaram o dia todo agarradas ao telemóvel, “TAMO” JUNTAS!

Mães de filhos que chegam à escola e dizem que vocês não lhes deram nada para comer, TAMO JUNTAS!

JUNTAS SOMOS MAIS FORTES!!! Best Friends Forever!

E eu que só queria um casalinho…

A Mãe dos Quatro!

O Sr. Ministro!


Hoje apresento-vos o "Sr. Ministro dos Assuntos Internos" (como é conhecido no seu emprego - a escola). 

É o Gonçalo para os amigos!

Este miúdo é o cromo da família (com direito a óculos e tudo ahhhh, pois é!). 

É daqueles que fica de castigo apenas uma vez por ano. E, nessas alturas, eu ou o seu rico pai damos um daqueles castigos megalómanos do género: "Nunca mais vês TV na vida!!!" 

Após 3 dias sem ele ligar a TV perguntamos ao moço: "Olha lá, mas tu já não gostas de ver TV?!" (Lembramo-nos lá do disparate que nos saiu boca fora!) E ele responde: "Eu estou de castigo para o resto da minha vida!" (Tãaaaao cromo!). Quase que temos de o obrigar a sair do castigo... Para o Sr. Ministro, regras são regras!!!

A sua inteligência é inversamente proporcional à sua simpatia e portanto é um misto de "sábio louco" com "deves pensar que és muita bom"...

Eu ainda estou para descobrir como é que fizemos um filho assim...

E eu que só queria um casalinho...

A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho #amaedosquatro

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

300 gostos no Facebook!


O estado em que ficou a minha filha quando lhe disse: "Clarinha, em 2 dias, já somos 300!". Sou grata, muito grata a todos!!! :) :p :*

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#tamojuntas #eeuquesoqueriaumcasalinho#amaedosquatro #desvariodesvairado
Novidades no Facebook! By the way... Obrigada! Já somos 300!!! :) :*

E eu que só queria um casalinho...

A Mãe dos Quatro!

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

200 gostos no Facebook!


Passei os 200 gostos, logo no primeiro dia?! Nem sei o que dizer! Para mostrar o quão grata estou, concedo a todos o privilégio de conhecer o Miguel, na sua plenitude... Pois, ele não é fácil...

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#tamojuntas #eeuquesoqueriaumcasalinho#amaedosquatro #desvariodesvairado

Ela deixa rasto!


A minha filha pensa que é a Gretel. Isto a avaliar pelo rasto de pão que anda freneticamente a fazer... Por mim tudo bem, desde que a seguir se convença que é um "Rainbow"!

E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho #amaedosquatro#desvariodesvairado

terça-feira, 23 de agosto de 2016

Tudo tem um fim, mas este...



Eu sabia que não seria uma fase tãaaaao longa como a que vivi aquando do Miguel… 

Senti pela bebé que é… 

Senti pelo tipo de interesse que mostrava. 

Tanto senti que imortalizei este momento em várias fotos. Mas nesta está patente tudo o que a amamentação representa para mim. O orgulho, o sentido de “dever cumprido”, o nutrir com o olhar, o laço estabelecido, a cumplicidade, a naturalidade, tudo… 

Mesmo assim foram 13 meses a amamentar a Clarinha. 

Sempre vivi a amamentação de uma forma muito romântica e idílica (sim, pateta!), embora de forma diferente em cada filho. 

À medida que fui tento mais filhos o prazer do momento foi sendo maior do que o receio se o meu bebé estava a beber o suficiente, se o meu leite o satisfazia, se eu ia conseguir amamentar até ele querer, se alguém estava a olhar,… 

Passou a ser um dado adquirido e com isso comecei a sentir-me especial, portadora de algo único, um ser quase divino. 

Acabei por perceber que entretanto a amamentação passa a ser mais importante para mim do que para eles e é nessa fase que sei que devo parar… 

Chegou o dia, mas desta vez é diferente, sei que NUNCA MAIS vou poder dar de mamar. Fechou-se um ciclo, acabou, mas para sempre… 

Sabia que ia custar-me e custa mesmo. É um misto de sentimentos. Ela já não precisa tanto de mim, não é tão dependente, mas por outro lado é um orgulho vê-la tão crescida. 

Mas, após uma introspecção, cheguei à conclusão que o que custa mesmo é perder a sensação de divindade, de ter um super poder… E, como tal, vou mas é ali num instantinho ver se cresço um bocadito valente e já volto, entretanto deixo a minha filha em paz!

E eu que só queria um casalinho...

A Mãe dos Quatro!
(foto by Magali Tarouca) <3

Use a sombra!

Adoro!
E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho #amaedosquatro

domingo, 21 de agosto de 2016

Como explorar criancinhas...

Hoje tive um ataque de histeria!

O alvo foram os desgraçados dos meus filhos mais velhos. Gritei e esperneei, por fim, decretei um corte de privilégios para ambos. Nada de TV, PS4, Ipad, ipod, telemóveis, nem sequer jogo de bola! 

Entretanto pediram desculpa e perguntaram se podiam fazer algo para eu não ficar triste. Perguntei se estavam a fazer isso devido ao corte dos privilégios. Disseram que não. Lá fizemos as pazes e nem se referiram ao resto... 

Decidi então limpar as minhas más energias e fui ouvir música. Cantei, dancei até já não me poder ouvir a mim própria e transpirar como se tivesse tomado um banho (mas sem o bom cheiro...). 

Não é que não me mandaram calar uma única vez?! Nem olhares reprovadores, risinhos cúmplices entre eles, revirar de olhos... NADA! (E eu bem que os provoquei!).

Sendo assim, no fim da minha parvalheira, disse-lhes: Meninos, por terem pedido desculpa e estarem tão simpáticos, decidi implementar para hoje um sistema de pontos! Se fizerem tarefas domésticas recebem pontos e têm de volta os vossos privilégios! 

Os olhos deles brilharam! 

Conclusão, já limparam e arrumaram os respectivos quartos, limparam as suas casas de banho, varreram a sala, a cave e o jardim. Foram ao pão e arrumaram os brinquedos do Miguel... E diz o Diogo: "mãe, só falta desbloquear a PS4, já temos tudo o resto! Da parte da tarde vamos conseguir!!!"   

(E assim se explora criancinhas... Agora estão a descansar...). 

E eu que só queria um casalinho... 

A Mãe dos Quatro!

sábado, 20 de agosto de 2016

Desligamento Automático!

Eu tenho um superpoder que designo por “Desligamento Automático”!

Funciona lindamente em variadíssimas situações, como com aquelas pessoas que falam, falam, falam, falam, falam, falam, falam, com as que explicam, explicam, explicam, explicam, e afins. Eu nem preciso acionar o meu superpoder. É tão super... que é automático! Deixo de as ouvir, vou acenando com a cabeça e oiço o mesmo “ua ua ua” que fazia a professora do Charlie Brown. Um dom! 



No fim peço a todos os santos e santinhos para não me terem feito perguntas, porque respondi que sim a tudo…

Mas, este meu superpoder tem um defeito, não aciona de forma automática em algumas situações que envolvam os meus filhos. Nem automática, nem de forma nenhuma! 

No choro, não interessa o volume ou o tipo de choro. Qualquer "mimimi" que seja, desliga o meu superpoder. Pior, quando tento acioná-lo sinto-me no jardim do Palácio de Seteais! Cada palavrinha ecoa 7 vezes no meu cérebro (imaginem quando os quatro se acham cheios de razão, na mesma proporção que injustiçados, e desatam numa chinfrineira…. Dói, dói muito…).

Outra situação em que o meu superpoder dá erro é quando a minha filha faz cocó. Também aqui não interessa o volume ou tipo… de cocó… Eu tento acionar o “Desligamento Automático” e o que se segue é dramático! Mais uma vez vejo-me no jardim do Palácio de Seteais! O cheiro ecoa, mas num crescendo! Quando penso que não é possível cheirar pior - duplica, triplica e penso: “não pode ser, devo estar enganada, a miúda fez cocó há 15 minutos, deve ser um pum!” e quadruplica, enquanto imagino um batalhão de bactérias a entrar pela minha filha adentro, multiplicando-se ferozmente, provocando uma infeção urinária que a leva a uma cama de hospital, a fazer antibiótico endovenoso por quinze dias, enquanto TODOS os profissionais de saúde passam por mim e abanam a cabeça dizendo que por não me ter apetecido mudar uma fralda à minha filha, tenho-a numa cama de hospital! E septuplica!!! (Isto tudo acontece em 2 minutos, porque mãe que é mãe não aguenta mais do que isto sem ir lamber a sua cria, quando está suja…).

E eu que só queria um casalinho…

A Mãe dos quatro!

sexta-feira, 19 de agosto de 2016

Dia Mundial da Fotografia

Diz que hoje é o "Dia Mundial da Fotografia",

A fotografia é tão mais do que um papel…
Há uns dias andei no meu baú das fotos. Foi um momento agridoce, tal como são todos os meus regressos ao passado…
Olhei para as fotos e até os cheiros daquela época, daquelas pessoas, daqueles lugares me vieram à memória. Inspirei profundamente e ali estava o cheiro, a rodear-me por todos os lados, como se o tempo tivesse parado…
Algumas fotos provocaram-me sorrisos, noutras gargalhei e noutras ainda as lágrimas teimaram em cair…
É realmente um poder inexplicável aquele que exala de uma fotografia, mágico, magnético!
Uma vez começando a viagem é como se já não desse para parar. É viciante voltar àqueles locais, estar novamente com pessoas que se perdeu, dizer o que não foi dito, reenquadrar vivências…
Como é que uns pedaços de papel me fizeram repensar uma série de ideias que julguei serem factos inquestionáveis?!
Como é que me deixaram tão pensativa durante dias a fio?
Mas, após organizar ideias, fazer uma introspeção, fechei o baú no verdadeiro sentido da palavra!
Sinto-me muito grata e a saudade faz parte da vida, principalmente da vida de uma típica portuguesa como eu!

A Mãe dos Quatro!

Isto é que é vida!


Por cá: "Isto é que é vida!" (Miguel, 3 anos).

(Diz ele, sem se aperceber que ia levando com uma maçã na testa...).


E eu que só queria um casalinho...
A Mãe dos Quatro!
#eeuquesoqueriaumcasalinho
#amaedosquatro
#tamojuntas

A Mãe dos Quatro!

O meu nome era Rita, Rita Santos! 

Era... 

Passei a Rita Marques quando casei com o Pedro, há quase 20 anos, (sim, eu sei que já está demodê...). 

Queríamos um casalinho de filhos... Queríamos...

Aos 27 anos deixei de ser a Rita Marques e passaram a chamar-me “mãe do Diogo”, cujo petit nom é “Didi” (embora deteste que lhe chamemos assim) tem 10 anos.

Aos 30 anos, para uns era a “mãe do Diogo” e para outros a “mãe do Gonçalo”, que com 7 anos e pelo seu ar aristocrata (vulgo antipático que dá dó) não tem petit nom que lhe valha.

Aos 33 anos, com a chegada do Miguel, virei a “mãe dos 3 rapazes”. O Miguel, prestes a fazer 4 anos, é tratado por Migoca, Miguinhas, Migoquinhas e outras tantas mariquices na esperança de amenizar e exorcizar toda a montanha russa de emoções, pensamentos, sensações e outras coisas acabadas em “ões” pelas quais nos faz passar.

Há 1 ano chegou a Maria Clara (não, não fomos à procura da menina) e, desde então, sou a "Mãe dos Quatro!" (desde a minha rua até à escola dos meus filhos…). 

A princesa da família Marques é a "Clarinha" para todos e mais alguns a não ser para uma única pessoa – O Miguel! Para ele, aquele ser esquisito não tem nada de “inha” é a MARIA CLARA!!!

Pois, tenho 4 filhos e sim, são todos meus e do mesmo pai.

Diariamente debato-me arduamente com a monumental tarefa de educar filhos (educar os meus acreditem que é ainda mais monumental!).

Mantê-los bem alimentados, limpos, felizes, saudáveis e torná-los no melhor que lhes for possível é a minha prioridade!

Por cá é tudo ao quadruplo, o bom e o menos bom. Mas, posso assegurar, sem florinhas, floreados, demagogia ou "mimimi" que, felizmente, os momentos bons compensam em larga medida o menos agradável!

As minhas publicações podem ser divertidas, outras puxar mais ao sentimento, outras ao sarcasmo, outras à ironia mas, por incrível e irreal que possa parecer, as estórias são verdadeiras! (Tenho momentos que nem eu acredito…).

Publicarei também as dicas/sugestões/curiosidades que são prática comum cá em casa e que podem ser a resposta a mais uma das questões frequentes que me fazem: Como é que consegues?!

Em suma, sou completa e arrebatadoramente apaixonada pelas minhas crias! Portanto, futuros pais, NÃO SE ASSUSTEM!!!!

E eu que só queria um casalinho...

Sejam bem-vindos,

A Mãe dos Quatro!